quarta-feira, 11 de novembro de 2015

MINI CURSO: CABALA E AUTOCURA (A MEDICINA DA ARVORE DA VIDA



MINI CURSO CABALA E AUTOCURA


CABALA É UM PATRIMÔNIO DA SABEDORIA DAS IDADES LIDA E INTERPRETADA COM MAESTRIA POR DIFERENTES TRADIÇÕES. OS HEBREUS LHE DERAM A ROUPAGEM MAIS CONHECIDA, E SOB MUITOS ASPECTOS, A MAIS COMPLETA E MAGISTRAL.

PRETENDEMOS DEMONSTRAR QUE ALÉM DA THEORIA E DA LITURGIA, EXISTE A DIMENSÃO DA TEO-RAPIA CABALÍSTICA, OU SEJA, O POTENCIAL DE CURA E REPARAÇÃO, SEJA NO CAMPO PSÍQUICO, SEJA NO CAMPO FÍSICO.

A MELHOR FORMA DE CONHECER A CABALA É ATRAVÉS DA OTZ CHAIM, A ÁRVORE DA VIDA. NELA É POSSÍVEL COMPREENDER AS LEIS DE INTERDEPENDÊNCIA E CORRESPONDÊNCIA PARA APLICA-LAS NA AUTO-REPARAÇÃO E NA REPARAÇÃO SISTÊMICA.

NESSE PRIMEIRO MINICURSO VAMOS CONHECER A COMPOSIÇÃO DA ARVORE DA VIDA FOCADOS NO PROPOSITO DE OFERECER UMA FERRAMENTA TEÓRICA E PRÁTICA CAPAZ  DE VIABILIZAR SEUS ENSINAMENTOS E MEDITAÇÕES PARA UMA PRATICA DIÁRIA.

O PROGRAMA CONTEMPLA:

-FUNDAMENTOS DA CABALA: SIGNIFICADO DA PALAVRA, ORIGEM, VARIAÇÕES;
-APRESENTAÇÃO DA ARVORE DA VIDA;
-AS DEZ SEPHIROTS(SEPHIROTH), OS 22 CAMINHOS E A SEIVA DA VIDA;
-A TRAJETÓRIA HUMANA DENTRO DA ÁRVORE CÓSMICA;
-A ARVORE HUMANA E OS RITOS DO CORPO: CORRESPONDÊNCIAS ENTRE A FISIOLOGIA HUMANA E O ESQUEMA DA ÁRVORE;
-A MEDITAÇÃO DENTRO DA ARVORE;
-A ÁRVORE E OS RITOS DO CORPO: ABENÇOANDO O TEMPLO VIVO;
-A LAVAÇÃO DOS PÉS E O BATISMO  DA COROA;
-EVA, PISTHIS SOPHIA E SHEKINAK: A CURA PELA MÃE;
-YOGA ADÂMICO: PRÁTICAS MEDITATIVAS E POSTURAIS BASEADAS NA ÁRVORE DA VIDA.




CURSO COMPOSTO POR TRÊS AULAS ON LINE( 70% TEÓRICA E 30% PRÁTICA) E UMA AULA PRESENCIAL TOTALMENTE PRÁTICA. 


Maiores informações: isaelzayash@gmail.com

-




quarta-feira, 28 de outubro de 2015

A HIERARQUIA DOS ANJOS E A HUMANIDADE PARTE 3








Ainda que não nos pareça crível, estamos cercados por um continente de Vida-Consciencia que perfaz, de modo geral, o lado “invisível” da realidade, lado esse incomensuravelmente  “maior” do que a face visível. E independente da relatividade entre  “visível e invisível” , ambas realidades  “intersão”, co-existem e co-agem. Elas não se excluem, ao contrário, se completam.  O que chamamos de face “invisível” é o somatório de vários planos/dimensões (não exatamente no sentido matemático, e sim, de consciencia) que se interpenetram e ao mesmo tempo se sobressaem uns aos outros. Imaginem uma cebola com suas várias camadas e terão uma ideia tosca, ainda que útil, dessa disposição de Planos.

Os Anjos atuam em todos os Planos, exceto no físico denso,  Plano esse que cria resistência e ao mesmo tempo estimula e dinamiza as potencialidades criadoras para que se tornem atividade. Ele é o nosso ambiente dominante, embora (como veremos em outro post) também tenhamos extensões correspondentes aos outros Planos (Sete no total) por meio de corpos sutis que servem , do ponto de vista absoluto, de veículos de expressão para a nossa Mônada/Eu Divino ( que age por meio do Eu Superior e da personalidade).  Sim, somos multidimensionais, ainda que monodimensionais até o presente estágio evolutivo.

Para o Homem muito arraigado na Terra, cativo dos imperativos da sobrevivência e movido por pulsões primais (ainda que envernizadas e sofisticadas), pouco ou nada da natureza subjetiva  consegue sensibiliza-lo a ultrapassar a barreira sensorial . E, ainda que sejam muitas as faces invisíveis do universo, nosso equipamento psicosensorial percebe apenas a mais densa. Quando muito,  aceitamos (geralmente por crença) algo paralelo(ou além) não muito diferente daquilo que vivemos e desejamos no plano físico. Sem rodeios, o fato é que a fisicalidade determina a totalidade das escolhas e ações humanas, nos afeta tão profundamente que mesmo a “inteligência”(da forma como a entendemos) não deixa de ser um subproduto das imposições e estimulações desse plano, uma função que organiza e supre os apetites e demandas do corpo.  

Imaginem: se o Homem  pouco desperto para a Vida Interna  - seja pelo caminho dos ensinamentos propriamente dito, seja pela retidão ética e refinamento intelectual – já carece de visão Causal quanto aos efeitos das suas ações e decisões egoístas sobre o próprio plano em que vive(externalidades), imaginem nos ambientes sutis por ele ignorados!  Desatento quanto a “qualidade” do que pensa, deseja e sente o homem gera e despeja compulsoriamente continentes de formas-pensamentos malsãs no ambiente Astral ( O Plano de consciencia imediatamente paralelo ao nosso), sobretudo nos seus subplanos inferiores, onde a matéria é altamente reativa às emoções e aos desejos mais grosseiros e individualistas.

Essas formas-pensamentos são tão fortes e poderosas em seu próprio ambiente que podem, por repetição,  assumir vida própria, quando então se transformam em “elementais artificiais”. Em geral, essas entidades são criadas por total falta de consciencia e nutridas por desejos insaciáveis que tendem a criar contornos mais definidos e duradouros, atraindo e agregando por semelhança outros “elementos”  vibracionalmente idênticos (é o que se denomina de auto-obsessão). Infelizmente, muitos vícios, fanatismos e extremismos em geral tem suas causas nessas formas pensamentos autônomas (veja os exemplos nas duas figuras abaixo, extraídas da obra “Formas de Pensamento” de Annie Besant e Charles Leadbeater).

 Mas que fique claro: um verdadeiro ocultista pode gerar elementais artificiais pelo Poder da Vontade e orientados para o Bem, animados por formas pensamentos de qualidade e moto Superiores.





Acima: exemplo de elemental gerado por avidez por bebida. Abaixo, um  forma pensamento de raiva




Onde os ANJOS entram nessa combinação de forças mal orientadas e potencialmente destrutivas? Eles atuam como agentes de conservação das vias que ligam os Planos Internos aos Planos externos, mais especificamente com o Plano Físico. Pois existem “rotas” que relacionam o que está nas bordas  com as camadas centrais.  No entanto, as condições psíquicas se tornam  tão adversas e hostis, que é necessário contar com a ajuda desses Seres para “transportar” as emanações diáfanas dos Planos da Alma até os níveis onde existe o potencial para ação objetiva. Assim, um artista, ou um cientista em pleno ápice criativo podem contar com o auxilio do Reino Devico para que esse lhes ajude a “gerar, parir e dar função” às suas ideias. Não é fácil debelar as densas e tensas nuvens turbilhonantes existentes na esfera psíquica, que com frequência interferem, amiúde  na recepção das precipitações do alto, mais diretamente sobre o receptor.

Mas alguém pode perguntar: “E se o receptor não estiver na mesma frequência desses turbilhões?”. Conscientemente ele pode não estar afinado, mas no nível subconsciente podem existir sombras ou nódulos psíquicos(recordando que o subconsciente é constituído de memórias, e que nem todas são limpas e impecáveis); e dependendo das disposições/configurações de ordem astrológica(por exemplo), é possível que o subconsciente reaja com mais força sobre o consciente, fragilizando o receptor. De que forma? Ele pode se flagrar vulnerável a rompantes de humor, desmotivado, disperso,  fatigado sem motivo aparente, apático, irritado e impaciente.  E aqui vale acrescentar que existem “ondas” cíclicas que deixam o subconsciente coletivo mais aflorado, e isso gera um impacto desestabilizador no conjunto da coletividade. São contextos tensos nos quais podem irromper surtos de violência e tragédias coletivas,

Existem Anjos que lidam exclusivamente com a potencialização de formas-pensamentos produzidas por bons pensadores(e acreditem, isso é raro), as razões para tanto não são difíceis de entender, mas esse auxilio também vela(ou revela) um componente especial: Os Anjos admiram a faculdade de pensar, sobretudo quando o pensamento surge de dentro, pois esse feito se assemelha ao Ato Divino de Criar. Não temos como nos alongar sobre isso, no entanto, é justo que o leitor amigo saiba diferenciar o pensamento comum do Pensamento Criador: enquanto um é subproduto da memória (sempre pensamos em relação a alguma coisa existente no tempo, basta observar)  e das imposições ambientais(pensamento cérebro-funcional), o outro brota de percepções puras , da relação sem intermediários entre a consciência e a Ideia(ou qualquer expressão, seja objetiva, seja subjetiva). Esse Pensamento Real nasce do contato com o “Sujeito”, não com seus atributos aparentes, mas antes, com a sua essência vivente.  E os Devas são irresistivelmente atraídos por essa capacidade.




Exemplo de forma pensamento superior



Continua na parte 4














quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A Hierarquia dos Anjos e a Humanidade (Parte 2)


A HIERARQUIA DOS ANJOS E A HUMANIDADE(PARTE 2)






Conforme introduzimos na primeira parte desse artigo, existem Hierarquias que respondem pela mediação entre As Ideias/Formas Puras(Arquetípicas e pré-arquetípicas) produzidas pela Mente Divina e a manifestação dessas no tempo-espaço.
Uma das principais Hierarquias é a dos Anjos( Djinas ou Devas conforme a tradição), um nome genérico nem sempre preciso para identificar a vasta hoste de seres que a integram. 

Como nossos artigos são apenas compêndios sobre temas vastos e inesgotáveis, é importante que o leitor amigo recorra às recomendações bibliográficas sugeridas ao longo do artigo; e que não se decepcione caso a apresentação do tema não seja suficientemente clara, visto se tratar de um assunto que, sob muitos aspectos, ainda é ignoto para nós. Afinal, mesmo que constituam  formas naturais ao Planeta, os Anjos estão fora do alcance da nossa sensibilidade sensorial e perceptiva imediatas, habitando camadas da realidade adjacentes e muito próximas ao nosso mundo ,distantes, contudo, devido ao exílio no qual nos colocamos com o nosso antropocentrismo e senso de separação em relação a natureza.

Na primeira parte dissemos  que existem diferentes linhas de evolução para as Mônadas, e que a Humana é a ponta de uma delas, da mesma forma que os Anjos o são da sua linha especifica.  Foi dito também que os Anjos não desenvolvem o que entendemos por racionalidade, quer dizer, embora sejam dotados de um tipo especial de inteligência, essa nada tem em comum com o intelecto humano. Vejamos as diferenças: Enquanto nós separamos e discriminamos os objetos e fenômenos  para análise e posterior intervenção criativa/funcional, os Anjos possuem uma espécie de percepção pura que não passa pelo filtro analítico. Para eles não existe a noção de dualismo, de conflito e logicamente, de livre-arbítrio. Eles apenas “percebem” o que precisa ser feito de acordo com as Ideias/formas/ estruturas emanadas pelo Logos ( A Suprema Inteligência diretiva da evolução de nosso Sistema Planetário) e pelos Arcanjos. 

Os Anjos/Devas são, portanto,  obreiros que manipulam forças por nós desconhecidas, forças essas que galvanizam átomos, moléculas e células para que sirvam a diferentes manifestações da Vida do Logos. Por essa razão, são também denominados de “Executores da forma”, ou “Os artífices da Natureza”.  






ARCANJOS

Os Arcanjos são para os Anjos o que Os Mestres do Quinto Reino são para os Humanos. Alguns desses Arcanjos são tão grandiosos e magnificentes, que é impossível descreve-los, mesmo porque, nem o mais desenvolvido e impecável Clarividente Iniciado poderia açambarcar tamanha Presença. Essas Supremas Entidades dirigem hostes inteiras de Devas e elementais, que sob sua direção, respondem pela manutenção de Planos de existência inteiros. Mas verdade seja dita: em que pese “a fama”, pouco se sabe efetivamente sobre os Arcanjos, salvo que podem ser classificados muito resumidamente em duas categorias especiais, aqui denominadas  “Emanações” e “Gerações”. A primeira é constituída por Entidades projetadas diretamente da Mente Logóica, cada uma com suas diferenciações /especializações (Raios). Elas existem desde sempre como Agentes individualizados do Logos com a função de organizar e dar direções definidas à sua Atividade Criadora. São esses os Sete Dhyanes Chohans do Budismo, ou os Sete Arcanjos perante o Trono do Pai da Tradição Judaico-Cristã. São os Sete Raios primevos, os Vórtices ou Chacras Cósmicos que diferenciam ou fracionam a Consciencia Una em muitas. Esses Arcanjos, portanto, não se formaram no tempo-espaço através da evolução, por isso o termo “emanações”. Em verdade, as “Emanações” podem e devem ser consideradas como Deuses, pois assim o são desde sempre!  

A Categoria "Gerações", como o nome sugere, atingiu a excelsa condição de Arcanjo evolvendo através das formas ao longo dos ciclos, ou seja, por um processo evolutivo similar ao  experimentado pelos membros do Quinto Reino(provenientes da nossa Humanidade),processo esse que é a regra geral do universo. Iniciaram sua existencia desde as Almas grupos de insetos e pássaros até atingir a estatura de Regentes Supremos do Reino Devico. Essa Classe de Arcanjos é especialmente próxima ao Quinto Reino e com esse trabalha na lida da condução das sucessivas raças raízes que se sucedem no Planeta.  


O REINO DÉVICO E O AUXILIO AO REINO HUMANO

Como o Reino Humano é o principal centro da evolução do presente sistema planetário, os Anjos estão “trabalhando” para que o conjunto da humanidade se aperfeiçoe e se conecte com o propósito “Que os Mestres conhecem e a que servem”(como consta na Grande Invocação). Na verdade o Reino Devico é um auxiliar na relação da Humanidade com a Hierarquia Espiritual Planetária, formada pelo Quinto Reino da Natureza(O Reino dos Super-Homens, ou da Consciencia Pura). Esse Reino, por sua vez, medeia a Humanidade com “O Centro onde a Vontade de Deus é Conhecida”(SHAMBALLA), que não é exatamente uma localidade como alguns pensam e acreditam, mas antes, um poderoso Centro de Força que sintetiza a Presença/Imanência de Deus no Planeta(O Aspecto Vontade)..

O Quinto Reino é o Governo Espiritual do Planeta(Grande Fraternidade Branca), mas antes, é um Centro de força que manifesta o Aspecto Amor / Sabedoria (Filho), enquanto que Shamballa fixa o Aspecto Vontade (Pai). A Humanidade compõem o Centro do Aspecto Atividade(Espirito Santo). É através do centro humano, portanto, que o LOGOS revela o seu propósito, devidamente organizado pela Hierarquia do Quinto Reino. Assim podemos resumir o Reino Humano enquanto Centro da Atividade Divina: Ele é dotado da capacidade de associar as  suas ideias com as Ideias puras e trazer para a manifestação criativa e criadora, uma fração da Perfeição e da Glória de Deus.  Entendam: Ele é o CENTRO DO ASPECTO ATIVIDADE. Os Anjos representam a PASSIVIDADE CRIADORA. 

O fato de sermos capazes de elaborar, interpretar, ampliar e aplicar criativamente nossas próprias Ideias (os Anjos não pensam como nós e não produzem ideias) nos torna, por essa capacidade, mais “imagem e semelhança com Deus” do que os próprios Anjos, muito embora a julgar pela realidade imediata, isso soe até blasfemo, uma heresia. Mas não é, e explicamos por que: O Reino Humano é o único capaz de ser a ponte consciente entre o Cósmico/ Infinito e o  telúrico/finito, entre o Céu e a Terra. Nele e para ele convergem todas as possibilidades criadoras possíveis. Quando tomamos conhecimento de humanos que reconheceram a sua Divindade Interna através da beleza , da benevolência e da verdade de seus atos e pensamentos, é impossível não identifica-los como “Anjos”, não é mesmo? Mas são os Anjos que se enamoram desses Humanos, pois eles sabem e percebem a imensa dificuldade que é a jornada humana até alcançar essa proximidade com a Vida Interna, a começar pela geração de Karma e pelo ciclo de morte e renascimento compulsório. Outro fator de “peso” a que os Anjos não estão obviamente submetidos, é a pressão física. Sim, o Homem tem que aprender a lidar com a fisicalidade com todas as suas leis restritivas, seu seu apelo sensorial e o peso gravitacional que “soca” a consciencia na horizontal. Essa “mola comprimida” rente a matéria lhe rouba tanta energia , que só mesmo um amparo do alto para poder lhe inspirar, nos momentos de menor resistência,a “olhar para cima”.






Quando a energia criativa humana se transforma em energia criadora e co-criadora com o Plano Divino, os Anjos fornecem uma grande provisão de vitalidade mental para que a mente possa sustentar esse aporte de poder criador. Esse tipo especial de ajuda  é prestada pelos Anjos do Plano Mental , os Manasdevas (Devas do Plano Mental) de classe superior. E nessa interação ocorre um processo de indescritível beleza e glória: Nosso Eu Real/Interno (que à vista Clarividente pode se assemelhar a um Deva/Anjo) habita a camada abstrata e superior do chamado Plano Mental, e por essa condição natural, já vive em contato os Manasdevas.  No entanto, quando essa Alma /Eu Interno desperta completamente para as suas potencialidades criadoras ela passa a gerar Ideias tão sublimes que aos Arcanjos e aos Mestres do Quinto Reino da natureza ela atrai. É o momento em que o Homem se torna verdadeiramente Sapiens e passa a justificar o título de “imagem e semelhança de Deus”.

Essa tomada de consciência e de  “idem-entidade” recebe o nome de Iniciação  e só ocorre por esforço próprio e na sequencia do esgotamento do ego e dos vínculos mundanos(ou após a chamada “crise de orientação). O HU MAN, nesse estágio, se tornou um Servidor do Mundo após “ser servido pelo mundo”, e essa condição basta, por si mesma, para atrair irresistivelmente os Anjos/Devas Superiores, que tratam de fornecer matéria psíquica e física de alta qualidade para o Iniciado. Uma vez investido de Cosmoética e Cosmovisão o homem é o agente mais valioso para O Quinto Reino, para o qual ele se dirige. E o Quinto Reino( O Reino da Pura Consciência) trabalha em uníssono com A Hierarquia Devica, moldando e transferindo para a esfera humana as “Ordens de Shamballa” .

Mas a presteza dos Anjos é incondicional: eles amparam e  prestam auxilio para todos os Reinos e toda a humanidade. O problema é que no nosso caso, devido a falta de amor e de respeito para com a vida, nem sempre geramos as condições mínimas para que esse amparo chegue com mais intensidade, sem mencionar o "peso" kármico. Por isso que os Teósofos e ocultistas verdadeiros incentivam a ORAÇÃO E A MEDITAÇÃO como práticas de “aproximação” entre  nós e os Anjos/Devas(além de outros benefícios),  





Religiões de enfoque mais místico (Cristianismo, por exemplo) tendem a atrair, em seus sacramentos, Anjos especialmente habilidosos em manejar e transformar as emanações desses ritos em poderosas correntes de cura e inspiração. Auxiliam no fortalecimento das Egrégoras, que podem avançar muitos quilômetros além das Ifrejas ou Templos. Com efeito, tudo o que estiver no alcançe dessa Aura será beneficiado. As formas pensamentos geradas em sacramentos puros são verdadeiramente sublimes, algumas de geometria complexa e responsivas ao Plano Mental Superior. E mesmo as formas mais simples são magnificas em suas cores, textura visual e mesmo musicalidade. São formas que atingem um maior numero de pessoas e possuem efeito reparador sobre o corpo emocional. 

Arquétipos e símbolos típicos de uma dada Religião podem ser vistos sendo moldados e enriquecidos pelos Anjos( Cruz, Cálice, Flor de Lis, etc). Dependendo da fé local, os Anjos podem vitalizar e nutrir com qualidades especificas as formas pensamentos que os devotos projetam sobre um Santo/Santa. Essa forma pode retroagir sobre os devotos, e mais ainda, sobre a localidade, instaurando uma atmosfera de paz e harmonia, sem falar em eventuais "milagres" dependendo do karma local e demais dispositores energéticos. 

É bom salientar que independente das mazelas humanas no trato com as Religiões e a consequente “profanação” dessas, TODAS as Religiões guardam em suas fundações mais autenticas e responsivas ao Quinto Reino, ritos extremamente poderosos no sentido de atrair, gerar, equacionar e combinar forças que podem abrir verdadeiros “Portais” , vórtices ou canais entre esse plano e os planos de consciência mais elevados. Da mesma forma, a Oração feita com coração puro e consagrada à Deus e ao Bem Maior é suficiente para que anos de acumulações deletérias sejam anuladas. E bem sabemos de locais que foram imunizados durante bombardeios devido a aura produzida pela Oração. 

E sobre oração, ritos e sacramentos falaremos na terceira parte do nosso diminuto tratado sobre A HIERARQUIA DOS ANJOS E A HUMANIDADE.



terça-feira, 20 de outubro de 2015

Temas para Palestras e Cursos





TEMAS PARA WORKSHOPS, CURSOS, PALESTRAS E CONSULTORIAS
 Por Marcio Isael Larsen


*      Psicologia e Filosofia Orientais
*  Introdução à Teosofia( Sabedoria das Idades)
*  Curso de Teosofia (3 anos)
*  Ocultismo e pseudo ocultismo
*  A Psicologia Cósmica do Sermão da Montanha
*  A Psicologia Cósmica do Bhagavad Gita
*      A Psicologia Cósmica do Tao Te King
*      Religiões comparadas e simbologia arcaica universal
*  Religião, Religiosidade e Realização
*      A Gênese da Complexidade Mórbida (ou a síndrome dos excessos)
*      Inteligência sistema x inteligência linear: O Todo e a parte
*  A Essência da Energia Monetária
*  Tempo, Sexo e Dinheiro – O Grande Desafio
*  O que é Iniciação?
*  Ritmo, Atração e Síntese: As Três leis diretivas da evolução
*  Compreendendo o Karma à luz dos Vedas   
*  A Inteligência da Auto Cultura
*  Os Sete Temperamentos Universais (Psicologia dos Sete Raios)
*  O Simbólico e o Diabólico: Dimensões da Natureza Humana
*  O Bem, O Belo e a Verdade: A Tríade da Cosmorealização
*      A Meditação como Caminho
*      Os Trabalhos de Hercules à Luz da Teosofia
*  Meditação na Educação
*  Introdução aos Princípios da Meditação Psicoterapêutica
*  Introdução à Cabala Universal
*  Introdução à Anatomia Metafísica do Homem
*      Educação, Ecologia e Religiosidade
*      Os Arquétipos do Taro e a Sabedoria das Idades


ATENDIMENTOS, PRÁTICAS E CONSULTAS

*      Mapa da Alma

*      Agni Yoga(prática e terapia)

*      Tarosofia



Contatos: marciolarsen@hotmail.com
von.novalis@hotmail.com
isaelzayash@gmail.com 



domingo, 18 de outubro de 2015

A Revelação da Sabedoria Eterna (Parte 1)

A Revelação da Sabedoria Eterna (Parte 1)





1 - As expressões "Nova Era" e “Espiritualidade” tem despertado grande curiosidade e diferentes idéias sobre  seus significados. No entanto,preconceitos e desinformação criam  interpretações  ilusórias e muito erradas sobre o real sentido de "Espiritualidade" e como alcançá-la,assim como o conceito de “Nova Era”. Atualmente,termos como “esoterismo” e “ocultismo” ficaram com o estigma de crendices e falta de racionalidade,reduzidos a categoria de pseudo ciências, resquícios de uma era regida pela superstição e pela ignorância. Com efeito, mesmo o estudante sério que reconhece o que esses termos verdadeiramente significam(ou encobrem) acaba por preteri-los. É bem verdade, no entanto, que o mau uso(basicamente interpretações distorcidas e matizadas por visões romanceadas/ pessoalistas) de ensinamentos de superior inspiração contribuiu para o rechaço e preconceito da Sabedoria das Idades.


2 – Apesar do antedito, é importante observar que parte dos ensinamentos e conhecimentos comuns nas tradições místicas/esotéricas (apresentados, evidentemente de outras formas) estão sendo corroborados pela ciência tradicional na medida em que essa se afasta do paradigama mecanicista e se aproxima, cada vez mais, da essência não substancial da matéria. Muito do que outrora fora considerado “mito” migrou para a categoria de “fatos”,ou pelo menos,em alguns casos, algumas ideias passaram a ser respeitadas e ponderadas como possibilidades reais. Um exemplo clássico reside no campo da Mitologia, que cada vez mais se revela uma guia para a ciência entender muito sobre nosso passado e origens. E dentro desse vastíssimo domínio, podemos citar Tróia, a “mística” cidade que serviu de cenário para uma guerra que ocupou dois dos mais volumosos livros já escritos: A Ilíada e a Odisseia, ambas atribuídas a Homero(O Pai da História). Essas duas maravilhosas epopeias revelaram ao mundo personagens  como Aquiles, Páris, Heitor, Helena e Agamenon. E sempre houve muita inquietação sobre a veracidade ou de Troia,até que a descoberta do seu sítio Arqueológico na Turquia fez com que o meio acadêmico mudasse sua perspectiva sobre a Mitologia de um modo geral. Aliás, se tudo o que já foi descoberto não tivesse sido “encoberto” por certa ordem de fanáticos científicos , nossos livros de história já teriam virado cinzas há um bom tempo.

3 – Vejamos a Psicologia ocidental: Seus méritos são inegáveis, mas é verdade que a cada dia ela se mostra mais impotente para lidar com uma dimensão humana explicitamente complexa, que se espraia além dos fatores hereditários imediatos e das pressões ambientais. A cada dia fica mais evidente que a nossa  subjetividade real não é  mero subproduto das funções biológicas, não. Como disse Jean Paul Sartre “A essência precede a existência”. Isso foi confirmado por Carl Gustav Jung, que não por acaso, foi buscar nos sistemas orientais a prova desse “fato”. Ele descobriu que manifestamos  ideias, imagens e anseios que não encontram existência concreta, e tanto podem ser expressos por símbolos de natureza abstrata como símbolos construídos a partir de objetos comuns e reconhecíveis ao nosso entendimento, embora  configurados de modos nem sempre lógicos. A ineficácia das fórmulas e procedimentos da psicologia escolástica clássica para lidar com aspectos ignorados da complexidade humana está provada quando nos deparamos com multidões fugidas de linhas tradicionalistas, que  recorrem a Psicólogos e Psicoterapeutas  de formação (e igualmente fugidos) que empregam métodos "alternativos" e "não convencionais" com resultados inquestionáveis.   
A inclinação pelos sistemas orientais se justifica por esses carregarem milhares de anos de maturidade na visão e compreensão do Homem,  contemplado como um complexo de princípios e atributos físicos e metafísicos que precisam ser conhecidos, reconhecidos e tratados  com a mesma naturalidade com que lidamos com o corpo físico. 
Em suma, essa aproximação e quase enlace entre os dois hemisférios cerebrais do planeta é o preludio de uma idade na qual essas separações se diluirão, e então, a humanidade voltará a ter um único saber, uma única ciência(como assim é nos Planos Internos).

4 - Alguns setores da ciência tradicional assumem que  muitos dos seus axiomas,preceitos e conceitos outrora tidos e defendidos como verdades absolutas e inamovíveis deixaram de se-los,o que é saudável quando compreendemos que vivemos num caldo cósmico de possibilidades ,sempre movente e que nos incita a seguir adiante do que os sentidos revelam(porque também velam). Aferrar-se a certezas em um universo de incertezas aparentes é incoerente e ofensivo frente a verdadeira inteligencia. Aliás,é digno de nota observar que o ato científico é,pela sua própria natureza, um processo de construção e desconstrução ,uma dinâmica de percepções que refletem a evolução do observador em relação ao observado. Não é um processo estático, longe disso. Conforme a percepção do observador se aprofunda sobre o observado, esse se revela cada vez mais dinâmico, complexo e interativo. E era na investidura dessa visão(e mais além) que os Rishis da Índia antiga viam a existência: de dentro para fora, do mundo das causas para o mundo dos efeitos, do vivente para o aparente. E é ao encontro dessa cosmovisão que caminhamos contando com o amparo do Quinto Reino da Natureza, O Reino da Pura Consciência.


(Continua na Parte 2)

sábado, 17 de outubro de 2015

CURSO "UFOLOGIA ESOTÉRICA"

CURSO DE UFOLOGIA ESOTÉRICA(UFOSOFIA)

א Marcio Isael Larsen א








O Curso  apresenta o tema UFOLOGIA conforme os Ensinamentos Teosóficos e das Tradições antigas. Aborda as influencias exercidas por civilizações extra-planetárias ao longo da História formativa da Humanidade baseado nos textos religiosos, sacros e esotéricos,além de enfatizar a dimensão espiritual e sapiencial por trás do fenômeno. Por isso o nome "UFOSOFIA". 

 

PROGRAMA:

- Cosmogênese e Antropogênese de acordo com os Ensinamentos Teosóficos( Idades Cósmicas, Cadeias Planetárias, Rondas e Períodos Globais).
- Noções sobre Astronomia e Astrofísica e a  natureza multidimensional do universo segundo os ensinamentos da Sabedoria Antiga.
- As Leis diretivas da evolução e a “lógica” da vida inteligente como um fator universal.
- As Religiões, seus textos sagrados e as menções aos Deuses Celestiais.
- Os Puranas, O Ramayana, O Mahabharata e a Epopéia de Gilgamesh:  os maiores textos ufológicos da humanidade.
- A Hierarquia Espiritual Planetária: A Mediadora entre a Hierarquia Cósmica e a Humanidade.
- Os Kumaras venusianos e a fundação do Governo Planetário Terrestre.
- A Teosofia de Alice Bailey e as declarações do Mestre D.K sobre as Hierarquias Criadoras.
- Os Pitris/Elohim: Os progenitores espirituais e materiais da humanidade.
- A atividade das Hierarquias extraplanetárias no Plano Mental Terrestre.
- Projeto chamado TERRA: a síntese da Espiritopsicobiodiversidade Cósmica?

 

Aulas via Skype

Contatos: isaelzayash@gmail.com/ von.novalis@hotmail.com



 

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Curso A Mistica e a Filosofia da Arte






Curso “A Mística e a Filosofia da Arte à Luz da Teosofia”

Apresentação:
Arte é ação. Arte é a visão da verdade que se manifesta na ação da beleza.
A Arte tem função catártica: Ela purifica a condição Humana, conectando o Homem ao mundo dos valores e da qualidade e libertando-o do mundo dos fatos e da quantidade.
A Arte é o mais universal dos caminhos e por isso mesmo, o mais próximo da experiência Cósmica.
No curso proposto, Marcio Isael Larsen viaja pelas dimensões insuspeitas que envolvem e penetram o ato artístico e a própria Arte enquanto princípio criador e criativo. Percorre a Arte sob suas mais variadas expressões, mostrando como ela se revela como uma das mais profundas experiências mística e filosófica existente. Recorre a milenar Sabedoria da Teosofia para mostrar como a Arte é simultaneamente um exercício Religioso, Filosófico e Cientifico à luz do belo.


Programa:

- Os quatro saberes fundamentais: Arte,Ciência,Religião e Filosofia
- A natureza abstrata/essencial da Arte
- Visão e abordagem da Arte segundo a experiência Mística 
 - Filosofia da arte: a Arte como expressão da subjetividade humana
- A Arte e a visão sistêmica do universo
- A metafísica Teosófica explicando o processo artístico
- O despertar interior e a arte como linguagem cósmica
- A constituição metafísica do Ser humano
- A Arte como um caminho para a descoberta do sagrado
- Arte sagrada e arte mundana
- Cura e redenção pela arte
- A arte como um dos sete caminhos Divinos: o caminho da harmonia através do conflito
- O Bem, o Belo e a Verdade: a tríade órfica do espírito
- A Arte na natureza: Ordem e Caos como contrastes fundamentais
- Arte Criadora e arte imitativa
- As Artes visionárias e a experiência profética
- O Reino Humano como mediador artístico entre o cósmico e o telúrico
- Arte e meditação
- Arte como linguagem mediadora entre o vivente e o aparente
- A Arte da forma: a escultura
- A Arte da cor: a pintura
- A Arte do som: a música
- A Arte do movimento: a dança
- A Arte da expressão psíquica: o teatro
- A Arte da Alma: a poesia



Marcio Isael Larsen
Locais: Recreio/ Barra/ Copacabana e Petrópolis

Contatos e informações: isaelzayash@gmail.com